História na História

Quinto Congresso Brasileiro de História da Medicina na Santa Casa da Misericórdia de Santos.

The Fifth Brazilian Congress on the History of Medicine at the Santa Casa da Misericórdia de Santos.

Henrique Seiji Ivamoto

Editor da Acta Medica Misericordiæ, Centro de Estudos da Santa Casa da Misericórdia de Santos e presidente da Comissão Organizadora do V Congresso Brasileiro de História da Medicina.

 

REF: Ivamoto HS: The Fifth Brazilian Congress of the History of Medicine at the Santa Casa da Misericórdia de Santos. Acta Medica Misericordiæ 2000; 3 (2): 42-50.

 

Resumo:

        A Sociedade Brasileira de História da Medicina (SBHM) decidiu realizar o V Congresso Brasileiro de História da Medicina, o do histórico ano 2000, na Santa Casa da Misericórdia de Santos, homenageando o primeiro hospital brasileiro, como parte das comemorações do pentacentenário da descoberta oficial do país. A sessão solene de abertura foi iniciada pelo Provedor Manoel Lourenço das Neves, que saudou os presentes. A abertura do conclave foi feita pelo Professor Carlos da Silva Lacaz, presidente da SBHM. Dom Jacyr Francisco Braido, bispo diocesano, abençoou os trabalhos, na tradição das Misericórdias. O editor da Acta Medica Misericordiæ, coordenador da comissão organizadora, agradeceu a SBHM, os patrocinadores, colaboradores e os congressistas, que vieram de todos os recantos do país para apresentarem sete conferências e 66 temas livres, segundo programa elaborado pelo secretário geral da SBHM, Ulysses G. Meneghelli. Cada congressista recebeu uma placa comemorativa, um suplemento do Jornal Brasileiro de História da Medicina com resumos dos trabalhos e um suplemento histórico da Acta Medica Misericordiæ. A comissão organizadora contou com o apoio da Irmandade da Santa Casa da Misericórdia de Santos, do Laboratório Pasteur, da Casa Brandão, da Fundação Lusíada e de diversas outras instituições. Apresentações artísticas foram feitas pelo coral da Santa Casa e pela Camerata Heitor Villa Lobos. Com o presente conclave, a Sociedade Brasileira de História da Medicina prestou uma homenagem a esta Casa de Braz Cubas, Leonardo Nunes, José de Anchieta, Manoel da Nóbrega, José Bonifácio de Andrada e Silva, Cláudio Luiz da Costa, José Martins Fontes e de outros humanistas, que trabalharam nesta Misericórdia e que ajudaram a forjar a alma da Nação.

 

Descritores: Hospitais filantrópicos. História da Medicina. Educação médica. Humanismo.

 

Summary:

The Brazilian Society for the History of Medicine (SBHM) decided to hold the Fifth Brazilian Congress for the History of Medicine, that of the historical year 2000, at the Santa Casa da Misericórdia de Santos, paying hommage to the first Brazilian hospital, as part of the the pentacentennial commemorations to celebrate the official discovery of  the country. The opening ceremony was initiated by the provector, Manoel Lourenço das Neves, who saluted the audience. The congress was opened by Carlos da Silva Lacaz, president of the SBHM. Dom Jacyr Francisco Braido, diocesan bishop, blessed the works, in the tradition of the Misericórdias. The editor of the Acta Medica Misericordiæ, coordinator of the organizing comission, thanked the SBHM, the sponsors, colaborators and the congress participants, who came from all over the country to present seven conferences and 66 shorter papers, according to a program elaborated by the general secretary of the SBHM, Ulysses G. Meneghelli. Each participant in the congress received a commemorative plaque, a supplement of the Brazilian Journal of the History of Medicine containing summaries of the papers, and a historical supplement of the Acta Medica Misericordiæ. The organizational commission was supported by the Irmandade da Santa Casa da Misericórdia of Santos, Laboratório Pasteur, Casa Brandão, Fundação Lusíada and several other institutions. Artistic presentations were given by the Santa Casa Choir and the Camerata Heitor Villa Lobos. With the present conclave, the Brazilian Society of the History of Medicine paid hommage to this House of Braz Cubas, Leonardo Nunes, José de Anchieta, Manoel da Nóbrega, José  Bonifácio de Andrada e Silva, Cláudio Luiz da Costa, José Martins Fontes and other humanists, who worked in this Misericórdia and who helped to forge the soul of the Nation.

 

Key words: Hospitais, voluntary. History of Medicine. Education, medical. Humanism.

 

Homenagem da SBHM ao primeiro hospital brasileiro

 

Em assembléia da Sociedade Brasileira de História da Medicina (SBHM), realizada por ocasião do Quarto Congresso Brasileiro de História da Medicina, ocorrido na cidade de São Paulo em dezembro de 1999, pensou-se, inicialmente, em realizar o congresso do ano seguinte no estado de Minas Gerais. Contudo, face ao pentacentenário da data oficial da descoberta do país, as lideranças da SBHM, com o devido respaldo da operosa delegação mineira, decidiram homenagear o primeiro hospital brasileiro, a Santa Casa da Misericórdia de Santos (SCMS). Assim, coube ao hospital santista a oportunidade de sediar o conclave do histórico ano 2000.

 

 

Início da sessão solene pelo provedor

Na noite de 16 de novembro de 2000, com o consistório "João Baptista Ribeiro", salão nobre da Santa Casa da Misericórdia de Santos, tomado pelos congressistas e convidados, o Provedor Manoel Lourenço das Neves, compôs a Mesa Diretora (fig. 1). Após a entoação do Hino Nacional, o provedor Manoel Lourenço das Neves saudou os congressistas:

        “Neste dia 16 de novembro do ano 2000, engalana-se a honrosa história da Irmandade da Santa Casa da Misericórdia de Santos.

        Tem a Santa Casa de Santos – a primeira fundada em terras brasileiras – o destaque em sua história de poder organizar o V Congresso Brasileiro de História da Medicina, graças à nimia gentileza da Sociedade Brasileira de História da Medicina, comandada brilhantemente pelo Prof. Dr. Carlos da Silva Lacaz.

        Aos ilustres professores-doutores, presentes ao histórico Consistório de nossa Irmandade, nossos melhores e sinceros votos de boas vindas a todos, certos que estamos do pleno êxito do Congresso, pois as ilustres presenças, com o peso das inteligências com que são dotados, nos conduzem àquela afirmação de sucesso.

        Às famílias que se deslocaram até nós, nossos respeitosos cumprimentos e a certeza de que serão bem acolhidos pelo povo santista e desejamos belos e ótimos passeios.

        Com muita honra e imensa satisfação, transmitimos nossos cumprimentos ao Professor Doutor Carlos da Silva Lacaz, honrado Presidente e aos demais participantes do V Congresso Brasileiro de História da Medicina.

        Um abraço a todos!”

 

        Terminando sua saudação, o provedor passou a presidência dos trabalhos ao Prof. Carlos da Silva Lacaz.

 

Abertura do Congresso pelo presidente da SBHM

Professor emérito, diretor do Museu de História da Medicina da Universidade de São Paulo, diretor do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo, ex-secretário de Saúde de São Paulo, destacado educador, pesquisador e humanista, um dos mais renomados médicos da atualidade, coube a Carlos da Silva Lacaz, presidente da SBHM, fazer a abertura do histórico conclave (vide "Discurso de abertura do Quinto Congresso Brasileiro de História da Medicina“, nesta edição).

 

Benção bispal

        O bispo da diocese de Santos, Dom Jacyr Francisco Braido, assistido pelo monsenhor Nelson de Paula e pelo padre José Carlos Romano, capelão da SCMS, abençoou os trabalhos do V Congresso Brasileiro de História da Medicina, de acordo com a tradição pentasecular das Santas Casas, em que os seus grandes eventos contam com a participação de ilustres representantes da Igreja. A primeira Misericórdia surgiu numa capela, a de Nossa Senhora da Piedade “da Terra Solta”, na sé de Lisboa.

 

Agradecimentos da Comissão Organizadora

        O editor da Acta Medica Misericordiæ, responsável pela Comissão Organizadora do V Congresso Brasileiro de História da Medicina, apresentou os agradecimentos à SBHM, particularmente aos professores Carlos da Silva Lacaz, Ulysses G. Meneghelli, João Amilcar Salgado e Sebastião Nataniel da Slva Gusmão, pela oportunidade concedida a Santos para sediar o conclave. Agradeceu também  o apoio do provedor Manoel Lourenço das Neves e de todos os demais integrantes da Misericórdia de Santos, além das demais pessoas e instituições que concederam patrocínio e apoio à realização do conclave. Após relacionar os principais colaboradores e de agradecer a todos,  concluiu:

“Com tantos colaboradores e patrocinadores que se juntaram ao projeto de realização do V Congresso Brasileiro de História da Medicina na Santa Casa da Misericórdia de Santos, estamos certos de que será não apenas um relevante conclave histórico, mas também uma bela festa de confraternização entre os membros da SBHM, demais congressistas e a comunidade misericordiana santista. Como bem disse o jovem poeta humanista Eduardo Seabra de Mello Ballerini, ‘não somos construtores do fato, mas retratistas da vida’. Assim, nós, amantes da História da Medicina, estamos reunidos no mais antigo hospital brasileiro para, no conclave que ora se inicia, analisarmos e discutirmos os retratos da vida esculapiana. É conhecendo o passado que saberemos escolher os caminhos para o futuro.

 

“Com o presente conclave, a Sociedade Brasileira de História da Medicina, juntamente com todos os patrocinadores e colaboradores, prestam uma homenagem a esta Casa de Braz Cubas, Leonardo Nunes, José de Anchieta e Manoel da Nóbrega. Esta é também a Casa de Frei Gaspar da Madre de Deus, José Bonifácio de Andrada e Silva, Cláudio Luiz da Costa, José Martins Fontes e de outros grandes humanistas santistas, que trabalharam nesta Misericórdia e que ajudaram a forjar a alma da Nação. A todos os caríssimos congressistas e familiares, um proveitoso conclave e uma feliz estada em Santos”.

 

Conferência magistral de Carlos da Silva Lacaz

Na seqüência, o professor Carlos da Silva Lacaz proferiu sua conferência magistral "Braz Cubas, Leonor de Lencastre, os navegantes e as Misericórdias lusíadas” - v. texto nesta edição da Acta Medica Misericordiæ).

 

Coral e Coquetel de abertura

        Finalizando a sessão de abertura, o tradicional Coral da Santa Casa da Misericórdia de Santos, formado por funcionários e voluntários do hospital e regido pela física Maria Fernanda dos Santos Marques, fez mais uma de suas belas apresentações musicais. Seguiu-se um primoroso coquetel, servido no átrio do consistório, organizado pela professora Mônica Lourenço das Neves e pela nutricionista-chefe Kayoko Eto da Silva, ambas do Departamento de Nutrição e Dietética do hospital.

 

A intensa programação científica

        Compareceram congressistas de todos os recantos do país, incluindo Amazonas, Pará, Ceará, Paraná, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Sergipe, Goiás, Rio Grande do Sul e São Paulo. Nos dois dias subseqüentes à noite de abertura,  a intensa programação científica, organizada pelo secretário-geral da SBHM, prof. Ulysses Meneghelli, teve lugar no Consistório da Santa Casa da Misericórdia de Santos. Sete conferências e sessenta e seis temas livres foram apresentados, seus resumos constando do suplemento do Jornal Brasileiro de História da Medicina2, distribuído durante o congresso e aos demais membros da SBHM. A temática dos trabalhos incluiu história de personagens, instituições, disciplinas, tratamentos, patologias, filosofia e educação médica

 

O bom fluxo do congresso

Contamos ainda com o apoio dos diretores clínicos João Garcia e José Luiz Camargo Barbosa, do vice-provedor Félix Alberto Ballerini, do mordomo-geral Milton Affonso dos Santos, dos demais integrantes da mesa administrativa, dos diretores administrativos Erimar Carlos Brehme de Abreu e José Fernando Carvalho e das secretárias da Provedoria Mary e Kelly. Os secretários do Centro de Estudos, Sandra Regina Lacerda de Matos e Rosalino de Souza Júnior, cuidaram das correspondências, preparação do material impresso, crachás e bolsas.

        Um grande número de funcionárias do Departamento de Enfermagem, dirigidas pela enfermeira-chefe Rita de Cássia Martins dos Santos e coordenadas por Mônica Carpalhoso Martins, Rosana de Caires Ferreira e Ana Virginia Carrasco, do Serviço de Desenvolvimento de Pessoal, assegurou o bom andamento do Congresso, cuidando da recepção, controle, entregas de materiais e orientação aos congressistas e acompanhantes. Toda a equipe, já devidamente treinada e com experiência adquirida em simpósios e encontros anteriores, demonstrou elevado preparo técnico e organizacional.

O Departamento de Manutenção, Consertos e Reparos, sob a chefia do engenheiro Henrique Juliano, cuidou do som e refrigeração. O equipamento de projeção do Centro de Estudos foi complementado e operado por uma firma contratada. Os jornalistas da Santa Casa, José Eduardo Barbosa e Michelle Guijt, cuidaram da cobertura fotográfica e da imprensa.         

 

Programas alimentar e artístico

        No segundo e terceiro dias, foram servidos três lanches, um coquetel e dois almoços, preparados pelo Departamento de Nutrição e Dietética, sob a organização da professora de Nurição da UniSantos Mônica Lourenço das Neves e da nutricionista-chefe Kayoko Eto da Silva. O programa alimentar foi bastante elogiado pela sua eficiência e esmerada qualidade.

        A Camerata Heitor Villa Lobos, regida pelo maestro Antonio Manzioni, foi dirigida pelo seu assistente Vanderley Alves da Silva. Diversos congressistas, revelando seus dotes artísticos, participaram ativamente do programa musical.

 

Jantar de encerramento

O jantar de encerramento ocorreu em 18 de novembro, num restaurante da praia, defronte à bela e imponente Fortaleza de Santo Amaro da Barra Grande, construída no século XVI, situada na margem oposta da Baía de Santos. Um grupo de músicos da Camerata Heitor Villa Lobos alegrou a noite de despedida.   

O presente conclave foi o primeiro congresso anual de uma sociedade médica de âmbito nacional realizado na Santa Casa da Misericórdia de Santos. Foi o segundo congresso médico nacional realizado na cidade de Santos, precedido pelo da Associoação Nacional de Medicina do Trabalho, segundo seu presidente e organizador, professor Oswaldo Paulino.

Apoios para o Congresso

        Quando retornamos da assembléia da SBHM ocorrida em São Paulo em dezembro de 1999, obtivemos, inicialmente, o aval e o apoio do provedor da Misericórdia de Santos, Manoel Lourenço das Neves. Rosilene Morales, diretora social e cultural, e Celso Schmalfuss Nogueira, presidente do Centro de Estudos da Santa Casa da Misericórdia de Santos colocaram-se à disposição para nos auxiliar na organização. Em seguida, procuramos apoio junto ao secretário da Cultura de Santos, José Gondim de Alencar, que cedeu a Camerata Heitor Villa Lobos e o Teatro Municipal.  O secretário de Esportes e Turismo, Luiz Dias Guimarães, forneceu-nos centenas de mapas e folhetos informativos sobre a cidade, que foram distribuídos aos membros da SBHM e aos congressistas.

O presidente da Fundação Lusíada, Eraldo Aurelio Rodrigues Franzese e o reitor do Centro Universitário Lusíada, Nelson Teixeira, disponibilizaram os recursos necessários à impressão gráfica de 15000 cartazes e 15500 fichas de inscrição. O material impresso foi distribuído no Brasil, Portugal e em outros países. Através da Acta Medica Misericordiæ, fizemos ampla divulgação do evento. Através de reportagens publicadas no jornal A Tribuna e no Jornal da Associação dos Médicos de Santos, o evento foi divulgado pelo litoral do estado. O Jornal do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo anunciou o conclave. O Grupo Gonzaga 6 divulgou o evento através dos cinemas de Santos. A ampla divulgação do evento teve como objetivos acessórios tornar conhecida a jovem SBHM e a estimular o interesse pela disciplina de História da Medicina.

O chefe do Serviço de Patologia Clínica e do Laboratório Pasteur, João Carlos Maluza Paes, doou os recursos necessários à confecção de duzentas placas comemorativas, gravadas em aço inoxidável e fixadas em uma espessa base de madeira, que foram distribuídas aos congressistas e a instituições médicas.

O comendador João Tavares, da tradicional Casa Brandão, doou a maior parte dos recursos, complementados pela Irmandade, necessários à impressão gráfica de cinco mil exemplares do suplemento histórico da Acta Medica Misericordiæ, que foram distribuídos aos congressistas e aos assinantes da revista.

A Clínica Neurocenter, dirigida por Marcos Magario, a Multi-Imagem, dirigida pelo radiologista José Carlos Clemente e o Laboratório Pasteur, doaram recursos para a impressão de anúncios na Acta Medica Misericordiæ. Ulysses G. Meneghelli, secretário geral da SBHM, encarregado pelas inscrições e pela elaboração do programa científico, conseguiu da Meddley  S. A. Indústria Farmacêutica a doação de pastas, blocos de notas e canetas, distribuídos aos congressistas.

 

Primeiro Congresso Brasileiro de História da Medicina.

        O Primeiro Congresso Brasileiro de História da Medicina, realizado no Rio de Janeiro, em 1951, foi organizado pelo Instituto Brasileiro de História da Medicina, presidido por Ivolino Vasconcelos.

 

Cronologia dos Congressos Brasileiros de História da Medicina

Os Congressos Brasileiros de História da Medicina foram realizados na década de 1950 pelo Instituto Brasileiro de História da Medicina (IBHM) e, a partir de 1999, pela Sociedade Brasileira de História da Medicina (SBHM).

 

1951- Rio de Janeiro, organizado pelo IBHM.

1953 – Recife, PE, organizado pelo IBHM.

1958 - Rio de Janeiro, organizado pelo IBHM.

1999 – São Paulo, SP, organizado pela SBHM, com apoio da Associação Paulista de Medicina.

2000 – Santos, SP, comemorando o pentacentenário da descoberta oficial do país, organizado pela SBHM, Acta Medica Misericordiæ, Centro de Estudos da Santa Casa da Misericórdia de Santos, com apoio da Irmandade da Santa Casa da Misericórdia de Santos e de patrocinadores.

2001- Barbacena, MG, será organizado pela SBHM, Associação Médica de Barbacena, Associação Médica de Minas Gerais, Universidade Presidente Antonio Carlos, Centro de Memória Médica da Universidade Federal de Minas Gerais e Fundação Oswaldo Cruz.

2002 – Ribeirão Preto, S.P, comemorando o 50o aniversário da fundação da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, será organizado pela SBHM e pela FMRPUSP. 

 

Ciência das Misericórdias

Além das contribuições de Carlos da Silva Lacaz, contamos nesta edição, com a de Manuel Ferreira da Silva, diretor e fundador da Voz das Misericórdias, jornal da União das Misericórdias Portuguesas e órgão dinamizador da solidariedade social em Portugal, e de outra colabroação de Ivo Pitanguy e seus assistentes. Os mestres da Cirurgia Plástica, representando a histórica Misericórdia do Rio de Janeiro, prestigiam esta revista com seu segundo trabalho, relatando, desta feita, sua grande experiência no uso de expansores para reparo de cicatrizes de queimaduras. Especialistas dos serviços de Otorrinolaringologia e de Clínica Médica da Santa Casa da Misericórdia de Santos contribuem relatando suas experiências. Aguardamos colaborações de todas as Misericórdias. Enviem-nos seus bons trabalhos!

 

 

REFERÊNCIAS

 

1)    Acta Medica Misericordiæ, vol. 3, suplemento histórico, novembro de 2000.

 

2)    Jornal Brasileiro de História da Medicina, vol. 3, suplemento 1, novembro de 2000. 

 

AGRADECIMENTOS: Ao Sr. José Eduardo Barbosa, jornalista da SCMS, pelas fotografias referentes ao V Congresso Brasileiro de História da Medicina.

 Professor Dr. Lybio Martire Junior

Presidente da Sociedade Brasileira de História da Medicina

Rua Caravelas, 546 – Ibiraquera- São Paulo – SP

CEP: 04012-060.

Museu Histórico “Prof. Carlos da Silva Lacaz”

Faculdade de Medicina da USP

Av. Dr. Arnaldo, 455 - Cerqueira César - São Paulo/SP - 01246-903 - Metrô Clínicas - Estacionamento mais próximo na Av. Dr. Enéas Carvalho de Aguiar, atrás da Faculdade.

Siga-nos

  • facebook-square
  • Twitter Square
  • google-plus-square